Conflitos internos

Hoje amanheci com uma dor no peito e uma agonia indisfarçável. Não tenho vontade de fazer nada. Não tenho mais vontade de viver. Estou triste e gostaria de ficar sozinha. Há momentos em que quero estar sozinha no mundo, isolada de qualquer tipo de vida, devida ou indevida... Outras vezes essa mesma idéia me apavora. Quero estar só, mas também detesto a solidão. Sinto um desejo louco de ser amada, e anseio devolver, em feitio de ódio, toda espécie de amor. Eu gostaria de receber alguma manifestação de afeto como um beijo, um abraço, uma carícia, apenas para repelir a pontapés quem me acariciar. Alguém para me admirar, elogiar e, em contrapartida, injuriar essa pessoa. Acaba de passar uma ambulância com o alarme funcionando a todo volume. Tive de tapar os ouvidos para não enlouquecer de vez, mas quando se foi, fiquei desejando que as ambulâncias do mundo inteiro viessem desfilar lentamente à minha porta com barulho de alarmes. Abro o guarda-roupa. Retiro uma a uma as peças que a empregada acabou de pendurar lavadas e passadas. Joguei as roupas ao chão, do lado de fora do quarto, e me tranquei por dentro. Há um impulso arrependido de ir ter com ela e pedir, de joelhos, milhares de perdões. Como seria maravilhoso poder matar alguém e fazer ressuscitá-lo a seguir. Agora choro e rio. Rio e choro intermitentemente. Do que rio? Do choro imotivado que virá depois. E choro de medo do riso à toa que se seguirá. Estou cansada, muito cansada e não posso me deitar. Já experimentei várias vezes. Logo que me deito uma força zangada me manda ficar de pé. Escrevo isto me sentando e levantando a cada dois minutos. Este conflito me esmaga e não há guindaste capaz de removê-lo .Sinto pavor do silêncio e odeio o barulho. Grito de desespero. Não suporto mais este tormento. Neste instante estou tendo um surto. Acabo de deduzir que toda a humanidade se comporta precisamente assim. Todos sentem os mesmos sentimentos que estou sentindo. Então, trago as contradições da condição humana concentradas dentro de mim, a um só tempo. E isto me faz sentir tão infeliz que agora estou pensando seriamente em acabar com tudo... mas será esta a solução ????


8 comentários:

Zuza Zapata disse...

Você conseguiu sintetizar em um texto todo o meu domingo. Enfim... tudo passa.

Beijos menina.

Zuza

Sentimental ♥ disse...

não tem solução, essa é a verdade...

eroticamenteincorreto disse...

Temo que essa soma de sentimentos chame-se depressão. Ocorre quando estamos tão envolvidos em desprezar a humanidade (simbolizada através de nós mesmos) que não vemos o belo contido em cada detalhe escritora. As soluções podem estar a um palmo do nariz e mesmo assim, não as vemos. Não desista. Não dê esse gostinho à depressão. Vença-a. Tenho certeza que você é capaz!

Andréa Silveira disse...

tudo nessa vida sao fases, tudo passa.
viver as vezes eh um saco, outras, delicioso.
nada eh perfeito, permanente ou constante.
bjs.

Julio Cesar disse...

Uma das forças como 'passei' a entender a felicidade é que essa não é um fio retilineo e constante.
Poderia até ser interpretado como uma corda e a firmeza nos será dada tanto quanto forem os filamentos contidos.
Mas a forma como passei a interpretar a felicidade de uma forma que me parece ter mais sentido (se é que há sentido, não?)foi como uma corrente.
É a felicidade então seus elos.
Interligados mas não uma unica peça. Cada elo representa um momento de felicidade que 'age' em um arco finito, ou seja, ele começa e termina em si mesmo. Unindo cada momento vamos formando essa corrente. Manter firme e unido os elos é que nos dá estabilidade e firmeza. A resistencia de cada elo está na feitura de pureza de cada momento.
Viva cada momento independentemente.
Nâo há como ligar todo evento e circunstancia que acontece nas nossas vidas em um unico cabo.
É o interlúdio de cada momento que faz com que cada momento desse de fato se torne especial com o valor da felicidade. A felicidade é em si felicidade. Para atingí-la é preciso de outras coisas, sim. Por isso, as 'outras' coisas não são em si a felicidade. Assim é que algumas coisas são fundamentais para se ter felicidade, já a felicidade é essencial para a plenitude da vida. Uma coisa é fazer...a outra é Ser.
bjim
Julio

Nira disse...

Acho que sei como você se sente...

alguém disse...

Quer terminar com tudo isso? Olha para o penhasco. Eu sinto medo disso. Eu sinto medo deste momento me chegar e me tomar e me arrebatar e me lançar ao largo. Não quero este mergulho, não quero ter que confrontar as profundezas de minha alma, abismo diante do qual, abusado, danço uma dança sem canção.
Quer se lançar? para baixo? Para dentro de si? Para que? O que você acha que tem lá no fundo? Só um monte de desilusões que guardamos desde crianças. E o pior é que elas não amaciam a queda.

Então, antes de saltar, pense. Não vale a pena este salto. Faça como eu. Dance. Dance, que quando a gente dança, as palavras se fazem desnecessárias, as forças se nos voltam, o poder de acreditar não fenece.

Dance esta dança comigo! E então será apenas o riso, e nada mais.

Yhupanki disse...

conheces nina e o prof. newton?

Obrigada JT.

Obrigada JT.

Obrigada,

Obrigada,
Recebi este selo do blog :eroticamenteincorreto.blogspot.com (vale a visita)

Mais um lindo presente

Mais um lindo presente
Vale a pena conferir seu blog !!!